Sistema de soldagem de revestimento Arcing apresenta automação inteligente para usinas de açúcar e álcool

Apto para ser utilizado durante a moagem e opera sozinho

O processo de soldagem nas usinas de cana-de-açúcar é um método tradicional, mas que pode ocasionar diversos danos à saúde. A solda em contato direto com o operário, produz substâncias altamente tóxicas e tem como consequência uma série de doenças como: pneumoconiose; disfunção pulmonar; febre de fumaça de solda; além dos efeitos sobre os olhos, pele e sistema nervoso.
O risco de acidentes em usinas é muito grande pela robustez dos equipamentos de moagem. De acordo com o gerente técnico da Fronius, Ronaldo Romão, o trabalho diário de manutenção dos rolos de moagem da usina ainda é realizado de forma muito artesanal, expondo os profissionais aos riscos de acidentes graves. “Em alguns casos podem sofrer até mutilações por ser um ambiente muito agressivo. As organizações de classe, o ministério do trabalho e os empresários aguardam uma solução efetiva para essa questão com sistemas automatizados que permitem menor exposição dos profissionais ao risco”, esclarece.
Nos últimos anos as empresas estão mais conscientes sobre os riscos causados no ambiente de trabalho e por isso tem investido cada vez mais na segurança dos trabalhadores.
Pensando nisto e no bem-estar dos funcionários, a Fronius do Brasil – líder em alta tecnologia de soldagem no país – acaba de lançar o sistema de soldagem o Arcing (fotos anexas) para revestimento em frisos dos rolos de moendas das usinas de açúcar e álcool. Por possuir um sistema moderno e seguro, não necessita de um operário. Para o gerente de Assistência Técnica e Aplicação da Fronius, Predrag Valan, é um equipamento robusto e muito fácil de manipular. “Oferecemos duas opções ao cliente: trabalhar com um ou dois arames. O de dois arames pode otimizar ainda mais o tempo de produção, mas ambos proporcionam total segurança na operação. Por ter tochas refrigeradas, o consumo do bico de contato (o que faz a solda) é menor, resultando em menos paradas e menos manutenção do sistema. Outra vantagem para o consumidor é o uso do Arcing para realizar reparos nos frisos durante a safra, ou seja, onde há desgastes contínuos (linhas de desgaste localizadas entre o material do friso e a camada da lateral aplicada – veias de desgaste que geram a quebra de pedações do friso), ressalta Valan.
O Arcing utiliza duas fontes de soldagens reguladas e monitoradas pelo microprocessador de cada máquina. “Ele oferece uma perfeita ignição que impede que o arame grude no rolo na hora de desligar o arco. Em caso de queda de energia, nosso equipamento não precisa ajustar ou ser programado novamente. Basta acessar o programa, referenciar e reiniciar a soldagem”, explica.
Para facilitar sua manipulação, oferece estabilizador de arco totalmente digital, faixa de entrada de energia estendida, multi-voltagem compatível e o gabinete foi montado no carrinho da própria fonte de soldagem. “É protegido pelo IP 67 ** (veja abaixo), ou seja produto completamente protegido à prova de poeira e água. Ou seja, o sistema suporta por 30 minutos sua imersão dentro da água em profundidade de até um metro. A soldagem pode ser realizada de diversas formas: picote, solda lateral, solda base, solda de sobrebase e chapisco”, explica Predrag.
Com 15 anos no mercado brasileiro, a Fronius é líder absoluta em alta tecnologia de soldagem no Brasil. Sua matriz está localizada em Diadema ( SP) e dispõe de cinco filiais: São José dos Pinhais – PR, Contagem – MG, Bauru – SP, Caxias do Sul – RS e Manaus – AM.

** Sistema de avaliação de proteção IP é um padrão definido pela norma internacional IEC 60529. O sistema de avaliação classifica o grau de proteção fornecido por um compartimento de equipamento elétrico contra objetos sólidos (poeira) e líquidos (água, óleo, etc).
(11) 5067-0069