FOTOS: LEANDRO GASPARETTI

Um cavalo de origem brasileira, a raça Mangalarga Marchador é natural do sul do estado de Minas e, surgiu através do cruzamento entre dois tipos diferentes de cavalos, os da raça Alter, trazidos de Portugal, e cavalos selecionados por criadores do sul do estado. A raça é considerada a mais confortável do mundo para a montaria, devido ao porte médio, ser ágil, de estrutura forte e temperamento ativo e dócil. O tamanho varia, em média, entre 1,46m e 1,52m. Como o próprio nome já diz, ele é um machador, e o movimento de marchar proporciona maior conforto.

Existem várias histórias sobre o motivo da raça ter recebido esse nome. O mais popular e considerado real, está relacionada a uma fazenda chamada Mangalarga. O dono adquiriu os cavalos de uma família do Sul de Minas, aí quando alguém se interessava pelos animais, procuravam pelos cavalos da fazenda Mangalarga, daí o nome. Já o nome Marchador, é porque esses cavalos marcham, ao invés vez de trotar.
A raça que possui até música em sua homenagem, tem atraído mais adeptos para criação e comercialização. Como é o caso do Haras Canto da Mata, em Potirendaba/SP, que há 20 anos cria e comercializa sêmen de garanhões, embriões e potros, atualmente, a propriedade conta com 75 animais da raça, sendo 10 garanhões e 65 fêmeas, que a partir dos 2 anos, são colocadas para reprodução. “Optamos pela raça devido a boa morfologia, índole que, além disso, possui um belo marchado, tanto que participamos de competições nos estados de São Paulo e Minas Gerais e já recebemos diversos prêmios” comenta Elson Roberto de Souza, gerente e treinador do Haras Canto da Mata.

Elson Roberto de Souza, gerente e treinador do Haras Canto da Mata

A tradicional monta natural ainda é a mais usada. Contudo, segue em ritmo decrescente na reprodução de equinos no Brasil. Cada vez mais, os criadores recorrem às técnicas de reprodução artificial em busca do melhoramento genético de seus plantéis. Além da inseminação artificial, da transferência de embriões e da chamada “barriga de aluguel”, já estão disponíveis técnicas mais modernas, como a fertilização in vitro e os clones.


Não bastando apenas adquirir o animal da raça, o mais importante é o cuidado com animal, que precisa ter uma rotina de cuidados e treinamento “Diariamente são alimentados com ração e feno, além de saírem ao sol, tomarem banho e dormirem na cocheira, isso, claro, intercalando com treinamento e flexionamento de cada animal” explica Souza.
O mangalarga marchador, atualmente, a maior raça de equinos no Brasil, com 600 mil animais registrados e cerca de 16.500 criadores, dos quais, mais da metade (9.044) está em Minas. O estado concentra 245.350 exemplares da raça.