Fotos: FLAVIO VENANCIO - FV5 PRODUTORA

Animais de curiosa beleza de pelagem com manchas rubros ou negras, e que podem alinhar todas as qualidades da raça Nelore, o Nelore Pintado tem chamado a atenção de criadores e fazendeiros do mercado pecuário nacional e internacional por sua imponência e exoticidade.  A raça que surgiu no Mato Grosso do Sul combina características produtivas com rusticidade, fertilidade e precocidade.

Comumente, o Nelore Pintado é criado e selecionado geneticamente por vários criatórios tradicionais nacionais da pecuária de corte, principalmente nos Estados de Mato Grosso do Norte e Sul, berço da raça, que é atestada e comprovada pelas principais instituições científicas e técnicas oficiais da zootecnia brasileira como: a Embrapa, ABCZ, Geneplus e Programas Estaduais de Melhoramento Animal. Surge para aumentar a opção de produção de carne das raças zebuínas, hoje responsáveis por 80 % da força produtiva industrial do país.

Foto: FLAVIO VENANCIO – FV5 PRODUTORA

O primeiro registro genealógico oficial da raça no Brasil, foi feito pelo fazendeiro e criador Walmir Lopes Cançado, com o registro do touro Pintor da Café registro nº W1 e a matriz Pintora da Café registro nºW1.

O Nelore V3 tem como objetivo inicial, dar continuidade no processo de seleção iniciado por Wlamir Lopes Cançado na Fazenda Café no município de Paranaíba – MS.  Na atualidade, um dos principais pontos defendidos pelos selecionadores, é a capacidade de um animal transmitir para as progênies suas características, só que melhoradas e cada vez mais eficientes. E não foi diferente na saga do Nelore pintado no Brasil promovido pelo Sr. Walmir. Assim, Dona Mariita foi feliz ao passar adiante a responsabilidade de garantir o legado do seu pai, para o seu neto João Antônio Soares, que passou a administrar, não somente a seleção do nelore pintado, mas também o acervo genético que já havia no nelore padrão e os demais negócios da família.

Nos últimos 5 anos a seleção do gado pintado passou por uma mudança brusca, quando João Antônio decidiu abrir o sangue do rebanho de seu bisavô, em busca de desenvolver animais segundo os conceitos do nelore moderno defendido pelo seu ídolo, o saudoso Claúdio Sabino Carvalho, ou seja, precoce, fértil e principalmente com boa conformação de carcaça, isso tudo, sem jamais perder a beleza racial, tão conquistada pelo seu bisavô Walmir.

João Antônio Soares, pecuarista e criador de Nelore Pintado – Foto: Divulgação

Por fim, todas essas mudanças nas novas gerações da seleção do nelore pintado, resgatado por João Antônio com agora a marca V3, será em prol do melhoramento genético do rebanho, pois além de gratificante no ato de ser criador, busca democratizar o que há de melhor nos leilões que participa e realiza, difundindo juntamente com seus parceiros o que poucos sabem ou sentem, a arte na pecuária, que é selecionar nelore variedade de pelagem.

 

Compartilhar