Um total de 173 iniciativas ganharam o selo e irão compor o Banco de Tecnologias Sociais da Fundação Banco do Brasil

Saiu o resultado da primeira fase de classificação para o Prêmio de Tecnologia Social da Fundação Banco do Brasil. A Plataforma Produzindo Certo da Aliança da Terra foi uma das 173 aptas a receber o selo de Tecnologia Social. Esta é a nona edição da premiação, que tem o objetivo de identificar projetos sustentáveis que possam ser reaplicados em diversas comunidades.
A Plataforma Produzindo Certo é uma ferramenta socioambiental, criada pela Aliança da Terra, que apoia a produção responsável e a melhoria contínua em qualquer propriedade rural. Com esta tecnologia, que é um diagnóstico socioambiental, o produtor pode demonstrar os seus compromissos com a gestão dos recursos naturais e responsabilidade social aliados à sua produção de forma prática, interativa e transparente. Mais de mil propriedades já fazem parte da Plataforma Produzindo Certo, com uma área total de cinco milhões de hectares espalhados pela América Latina: Brasil, Colômbia, México e Paraguai.
A triagem para o prêmio foi realizada por uma comissão composta pela equipe técnica da Fundação BB que obedeceu aos critérios do regulamento para chegar às propostas selecionadas. Dentre os requisitos solicitados estavam: o tempo de atividade, as evidências de transformação social, a sistematização da tecnologia, a ponto de tornar possível sua reaplicação em outras comunidades, e o respeito aos valores de protagonismo social, respeito cultural, cuidado ambiental e solidariedade econômica.
As propostas inscritas foram classificadas em seis categorias nacionais, das quais foram validadas 15 tecnologias na categoria Agroecologia, 27 em Água e/ou Meio Ambiente, 11 em Cidades Sustentáveis e/ou Inovação Digital, 40 em Economia Solidária, 52 em Educação e 16 em Saúde e Bem Estar. Na categoria internacional foram classificadas 12 propostas.
Com a certificação, as tecnologias passam a compor o Banco de Tecnologia Social (BTS) da Fundação BB, que agora conta com 995 iniciativas aptas para reaplicação. O BTS é uma base de dados online, que reúne metodologias reconhecidas por promoverem a resolução de problemas comuns às diversas comunidades brasileiras.
Para a gerente geral da Aliança da Terra, Aline Locks, a certificação traz maior visibilidade para a iniciativa, mostrando para mais produtores brasileiros que é possível produzir com responsabilidade socioambiental. “A legislação socioambiental muda constantemente e o produtor acaba ficando perdido, a Plataforma foi criada justamente para levar informação ao campo, para mostrar ao produtor que ele é capaz de transformar a realidade local da sua comunidade, produzindo mais e melhor”, diz.
A próxima etapa do Prêmio está prevista para o dia 15 de agosto, com a divulgação dos projetos finalistas. Já as propostas vencedoras serão anunciadas na cerimônia de premiação, em novembro. Os seis vencedores nas categorias nacionais vão receber R$ 50 mil cada uma, troféus e a produção de um vídeo sobre a iniciativa.
Esta edição tem a cooperação da Unesco no Brasil e o apoio do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), do Banco Mundial, da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud).