Foto: Divulgação

Em dois meses, projeto já registrou 100% de economia na conta de energia elétrica da fábrica do Umbicura

Economia por meio da geração de energia limpa. Este é o pilar do investimento feito pela empresa Pecuarista D’Oeste, grupo proprietário do medicamento Umbicura, para a implantação de painéis fotovoltaicos na fábrica do produto, em Araçatuba (SP). O objetivo da empresa é produzir 100% de energia renovável, além de incentivar o desenvolvimento sustentável no agronegócio.
Instalada na região de maior incidência de raios solares do estado de São Paulo, a fábrica do medicamento recebeu, em dezembro de 2017, 40 painéis fotovoltaicos com capacidade para geração de mais de 1,5 mil quilowatt-hora de energia, por mês. “Em dois meses, nossa conta de energia teve uma redução de 100% do valor, com pagamento apenas do mínimo exigido pela concessionária. Isso vai ao encontro da nossa política interna de produzir mais gastando menos, com atenção especial voltada ao meio ambiente”, afirma o diretor do grupo Pecuarista D’Oeste, Felipe Calarge.
O engenheiro da empresa NoonEnergy, Marcelo Silva, responsável pela instalação do sistema de energia solar na fábrica do Umbicura, explica que até mesmo a fabricação dos painéis é sustentável. “A empresa optou por utilizar módulos feitos de silício, que é o segundo elemento químico em maior abundância na Terra. Além de ser resistente, ele é de fácil manejo e manunteção”, explica.
Segundo Silva, o pico de produção de energia limpa na fábrica deve ocorrer no mês de agosto, avaliando a incidência de raios solares na região e o consumo registrado pela empresa, nos últimos anos. “Um dos grandes benefícios da energia solar é a exportação do excedente para a operadora, no nosso caso, a CPFL. É possível utilizar essa energia acumulada em até cinco anos sem prejuízo de investimento”, afirma o engenheiro.
Nos três primeiros meses de funcionamento, os painéis fotovoltaicos já registraram energia para o autoconsumo, inclusive para reduzir a conta de energia do escritório administrativo do Umbicura e para abastecer a região em que a fábrica está instalada. “Nosso investimento neste projeto deve ser pago em até dez anos. Temos capacidade para produzir 20 mil quilowatt-hora de energia, por ano, um rendimento que impactará positivamente em todos os processos de fabricação do Umbicura”, comenta o diretor, Felipe Calarge.
A economia gerada na fábrica do Umbicura, até o mês de março, evitou a emissão de mais de dois mil quilos de gás carbônico na atmosfera e é equivalente à preservação de 60 árvores e ao combustível necessário para um veículo percorrer 15 mil quilômetros.

Umbicura

O Umbicura foi desenvolvido há mais de 50 anos com o objetivo de reduzir o registro de doenças no umbigo de bezerros. É utilizado como antisséptico, nos primeiros dias de vida do animal, auxiliando na cicatrização do umbigo.