Fotos: Divulgação

Aconteceu em março, no anfiteatro do Hospital D’Olhos, evento do Partido Novo voltado ao produtor rural e contou com a participação de cerca de 100 pessoas. O evento teve como palestrante Eduardo Lunardelli Novaes, que é formado em administração de empresas pela EAESP/FGV com MBA por INSEAD, França. É empreendedor rural, atuando em melhoramento genético de gado, agricultura e negócios imobiliários rurais, idealizador ex-coordenador (atualmente Pré Candidato a Deputado Federal), do programa Novo no Campo, que visa construir a articulação do Partido Novo com o campo e produzir as pautas do partido para o setor.
A palestra abordou temas como a segurança jurídica, o respeito ao direito à propriedade, política fundiária que priorize quem quer trabalhar, infraestrutura logística que dê competitividade de custos ao produtor brasileiro, foco em uma política externa que priorize a conquista de mercados, formação de capital humano e combate às causas do alto custo de capital na economia.
Há cerca de alguns anos houve um enorme aumento da incidência de roubos a propriedades rurais, em todo o Brasil, o que até a alguns anos não era comum.
O problema de violência é muito complexo e começa na legislação, que é muito leniente com criminosos, passando pelo sistema carcerário, pela estrutura e baixa eficácia do sistema policial, entre inúmeros outros fatores.
Isso é importante, pois propriedades rurais, por serem mais isoladas, jamais serão tão bem servidas quanto a cidade, mesmo quando tivermos um sistema de segurança, no mínimo, razoável.


Palestrante Eduardo Lunardelli Novaes com o Dr. Carlos Figueiredo


Auditório do Hospital D’Olhos com participantes


Voluntários do Novo Rio Preto

Partido Novo

O Partido Novo não usa recursos públicos para se manter. Nesse ano, entre fundo partidário e fundo eleitoral, os partidos políticos brasileiros receberão R$ 2,5 bilhões que poderiam ser alocados à segurança, saúde ou educação, ou ainda, ao corte de impostos. O Novo abre mão de recursos públicos para financiamento a partidos e vive exclusivamente da contribuição de aproximadamente R$ 29,00 mensais de seus filiados e doações, o que dá a eles controle sobre a condução da instituição. Caso o partido não cumpra seu propósito, os filiados deixam de contribuir e o partido deixa de existir.
Faz processo seletivo para postulantes a candidatos, garantindo honestidade, aderência de valores e preparo para que possam efetivamente construir as transformações que o Brasil precisa.
Esses diferenciais, entre outros, são ancorados em um sistema de boa governança e representatividade garantindo um ambiente propício para pessoas de bem virem trabalhar para mudarem o Brasil.

Para saber mais acesse o site oficial https://novo.org.br/