Fotos: Leandro Gasparetti

Considerado o maior produtor de borracha nacional, o Estado de São Paulo, produz cerca de 50% do mercado nacional. A maior concentração fica em São José do Rio Preto, onde ficam também a maioria das indústrias que fazem o beneficiamento do coagulo produzido nas fazendas.
“O nosso forte é Kwayo Láctico Sofort, que é um coagulante que visa substituir o ácido acético, já que é menos complexo, por não ser volátil, isento de licença, além de outros benefícios e, como a base dele é subproduto de fertilizante, então, não afeta o solo” explica Marcos Alberto Pavanelli, químico responsável da PH Rio Preto.

Marcos Alberto Pavanelli, químico responsável da PH Rio Preto (Foto: Leandro Gasparetti)

Para extrair o látex da seringueira, faz-se um corte cuidadoso no tronco dessa árvore, por onde a seiva branca e leitosa flui. Depois de recolhida, a seiva é transformada em borracha crua pelo processo de coagulação. “O Kwayo elimina ao máximo a quantidade de água que possui no coagulo, sendo mais produtivo, além do tempo de coagulação variar de 3 a 5 minutos” complementa Pavanelli.

Kwayo Láctico Sofort, coagulante

O que parece ser algo simples de fazer requer muito conhecimento e técnica para não ferir a árvore Seringueira e prolongar a vida útil, além de garantir um alto nível de produção. “Desde que comecei a trabalhar na empresa, há quatro anos, já utilizam o Kwayo que, se comparado ao acido acético, é mais eficiente, por reduzir a quantidade de água na borracha, além de não possuir odor” explica José Tiago de Freitas Nascimento, químico na QR Borrachas Quirino. Já que cerca de 30% a 35% do látex é borracha pura. O restante é formado por água e outras substâncias.

Plantação de Seringueira na região de Rio Preto / Foto: Leandro Gasparetti

A produção pode se estender durante o ano todo, porém é preciso reservar os meses de agosto e setembro para o repouso da árvore. Os meses de março, abril e maio, devido ao clima favorável, é a época de maior produtividade.
Atualmente o Brasil produz apenas um terço do que necessita nacionalmente, sendo que o restante é importado principalmente do sudeste asiático, maior produtor mundial de borracha. “Estamos expandindo nossa atuação em outros estados como Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Tocantins, além de já atendermos cerca de 80% das usinas do Estado de São Paulo” finaliza Priscila Beraldi de Souza, Diretora Comercial da PH Rio Preto.

Priscila Beraldi de Souza, Diretora Comercial da PH Rio Preto (Foto: Leandro Gasparetti)

Saiba mais sobre o KWAYO LÁCTICO
PH RIO PRETO
17 3223.3464 / 99788.4872 / 99113.7751