Foto: Divulgação

Empresa multiplicadora da genética avícola Cobb-Vantress recebe do Ministério da Agricultura o Certificado de Compartimentação para suas unidades de Avós no Rio Grande do Sul e Paraná

A Agrogen, multiplicadora de genética avícola da Cobb-Vantress com sede no Rio Grande do Sul, recebeu seu Certificado de Compartimentação do país, emitido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e reconhecido pela Organização Mundial da Saúde Animal (OIE), sendo o sexto do país. A Compartimentação é um conceito que permite a comercialização de aves através de unidades Compartimentadas mesmo durante surtos de Influenza Aviária (I.A) e Doença de Newcastle no Brasil (DNC). É como uma bolha cheia de regras, cuidados sanitários e profiláticos dos plantéis para evitar que se contaminem e disseminem organismos patogênicos como I.A e DNC.

A Certificação de Compartimentação foi concedida para a Agrogen em suas unidades de Avós no Paraná e no Rio Grande do Sul. A estrutura inclui três granjas, dois incubatórios e duas fábricas de ração. A Agrogen produz matrizes, que são as responsáveis pelos pintinhos de um dia que vão povoar as granjas em todo o Brasil, o que é ainda mais importante, já que é esse o início de toda a cadeia de produção da proteína animal de frango.

A gerente de produção da Agrogen no Rio Grande do Sul, Raquel Ponsati, explica que a compartimentação distingue a empresa com um status sanitário diferenciado em relação aos concorrentes. “Começamos esse trabalho em 2017, com reformas estruturais e documentais para se adequar à legislação, tivemos auditorias do MAPA e obtivemos, depois de muito trabalho, o certificado”, aponta Raquel.

Ela salienta que foram revisadas e adequadas todas as ações referentes à biosseguridade e manejos, os quais estão baseados em rígidos procedimentos operacionais, além de um controle total da rastreabilidade de insumos e materiais, entre outras medidas. Raquel explica que, caso o país sofra com situações de emergência sanitária por Influenza Aviária ou Doença de Newcastle, que exijam a paralisação das atividades na avicultura, empresas compartimentadas podem continuar operando, o que garante a continuidade do processo produtivo, empregos dos trabalhadores envolvidos e abastecimento de clientes.

A gerente de laboratório da Agrogen, Fernanda Martinez Xavier Alves Teixeira, destaca que as unidades da empresa, em Montenegro, no Rio Grande do Sul, e Guarapuava, no Paraná, foram o sexto compartimento do Brasil. “Para nós é um salto em qualidade e rastreabilidade dos nossos processos. Para o cliente é garantia de aves livres de patógenos como Influenza Aviária e Doença de Newcastle”, cita. Ela lembra que, por ser um certificado que precisa ser revalidado a cada dois anos, o trabalho é ininterrupto. “Temos agora um desafio ainda maior de manter o mesmo padrão ao longo do tempo”, destaca.

O diretor Associado de Qualidade e Sanidade da Cobb-Vantress na América do Sul, Rafael Bampi, destaca que a certificação é uma conquista para todo o setor. A Cobb foi a primeira empresa no mundo a receber o Certificado de Compartimentação, no ano de 2016, em todas as suas unidades, nos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul. O Certificado foi recebido em cerimônia em Brasília das mãos do Ministro Blairo Maggi e da diretora da OIE.

“Desde 2016, quando a Cobb recebeu o seu Certificado de Compartimentação, incentivamos a Agrogen a buscar o seu também. De lá para cá foram inúmeras contribuições, compartilhando informações e experiências da Cobb com o Compartimento, realizando auditorias e reuniões para ajudar a Agrogen. Este processo foi uma via de mão dupla, onde tanto a Agrogen quanto a Cobb puderam aprender e aprimorar o conceito de Compartimentação”, destaca.

Ele destaca que a Compartimentação confere um status de Biosseguridade Premium, “pois a Agrogen passa a cumprir com o que há de mais exigente em termos de regras de Biosseguridade no mundo”. Além disso, reforça Bampi, há rastreabilidade total em aves, ovos, ração veículos, pessoas, materiais e resíduos. “Isso beneficia não somente a Agrogen, mas todos seus clientes, que poderão manter seu fornecimento de matrizes mesmo na ocorrência de Influenza Aviaria e Doença de Newcastle no Brasil”.

A partir da conquista do Certificado de Compartimentação pela Agrogen, todos os clientes Cobb e Agrogen passam a receber 100% das suas matrizes pesadas de granjas Compartimentadas. “Além de uma matriz de alta performance, eles receberão um produto de granjas e incubatórios com uma biosseguridade premium, diferenciada. Isso é extremamente benéfico para nossos clientes e demonstra o compromisso entre Cobb e Agrogen de entregar matrizes pesadas de mesma genética com o mesmo padrão de qualidade em qualquer lugar do Brasil, para todos os seus clientes”, frisa Bampi.