Crédito: Everton Souza Marita

Depois de mais de dez horas de vendas consecutivas com lances das cinco regiões do Brasil, o leilão Rincon Code fechou com faturamento de R$ 2,58 milhões para todos os 143,5 animais comercializados. O remate, que comemorou os 25 anos da Rincon del Sarandy, de Uruguaiana (RS), atingiu média de R$ 21.509,09 para os touros Angus e de R$ 16.463,64 para os ventres. O reprodutor Ultrablack Dom foi comercializado por R$ 18.300,00.

As médias elevadas superaram as projeções do criador Ignacio Tellechea, que administra a propriedade ao lado do irmão Martin e da mãe Claudia Indarte Silva. “Foi um leilão longo em função da vasta oferta, mas tivemos vendas ágeis e com lances disputados. Isso é condizente com a qualidade e a quantidade dos lotes que separamos para esse evento comemorativo”, frisou Tellechea. Segundo ele, a experiência de um remate solo da Rincon del Sarandy chega em um momento importante, consolidando o trabalho de melhoramento genético focado em produtividade e qualidade de carne.

Entre os destaques de pista esteve cota de 50% do touro Angus Simba (Rincon 3688 Saikan del Sarandy – lote 101), que saiu por R$ 42.000,00, o que o valoriza em R$ 84 mil. O reprodutor, que está contratado pela CRV, teve cota adquirida pelo condomínio formado pelos criadores Fernando Pereira e Eriko Santos, do Paraná, e Luiz Henrique Celani, de Minas Gerais. Também se destacou a comercialização de um lote de quatro embriões Angus ofertado pela Casa Branca Agropastoril, de Silvianópolis (MG), que saiu por R$ 76.500,00 para os criadores Gisele e Ricardo Fernandes da Angus da Limeira, de Pinhão (PR). “Adquirimos esses embriões para participarem no desenvolvimento genético da Angus da Limeira, trazendo um essencial e importante aporte de linhas maternas em um acasalamento que achamos perfeito”, frisou Ricardo Fernandes.

O leilão foi comandado pela Programa Leilões com apoio da Parceria Leilões e da Trajano Silva Remates. O maior comprador do remate foi o pecuarista Fladimir de Oliveira, da Fazenda dos Cardeais, de Rio Pardo (RS), que investiu R$ 231 mil. “O Rincon Code nos mostrou a amplitude da demanda por genética para produção de carne de qualidade no Brasil. Vendemos para o Sul, mas também vamos enviar nossos animais para Minas Gerais, São Paulo e para o Pará”, completou Ignacio Tellechea.

Fonte: Associação Brasileira de Angus Associação Brasileira de Angus