Fotos Divulgação – Cia Tércio Miranda

Instituição de Barretos (SP) receberá doação de R$ 300 mil. Embrião do touro de rodeio mais valioso do Brasil foi adquirido durante o 1º Encontro Internacional de Genética

A Cia Tércio Miranda realizou, na noite de terça-feira de maio, em Votuporanga (SP), o 1º Encontro Internacional de Genética de Touros de Pulo. O evento representou um passo significativo para o rodeio, reunindo tropeiros, empresários, políticos, jornalistas e investidores de diversas regiões do Brasil.
Entre os destaques da noite, o primeiro embrião do touro Acesso Negado foi arrematado em um leilão por R$ 300 mil, batendo recorde como o mais valioso do país. Todo o dinheiro arrecadado será revertido ao Hospital de Amor de Barretos, referência no tratamento contra o câncer.
Esta não é a primeira vez que os animais do plantel dos empresários Tércio e Rosana Miranda ajudam em causas nobres. O touro Briga de Galo, por exemplo, participou por dois anos consecutivos do Desafio do Bem, contribuindo significativamente para a arrecadação de fundos destinados à instituição.
“Expressamos nossa sincera gratidão a todos que participaram do evento, compartilhando informações com o objetivo de valorizar o rodeio. Também gostaríamos de estender nossos agradecimentos à Cia Bela Vista por adquirir o primeiro produto do Acesso Negado, touro que é o centro do nosso projeto de melhoramento genético. É muito gratificante ver nossos animais ajudando quem precisa mais uma vez”, diz Rosana Miranda.
Promovido em parceria com a Associação Brasileira de Criadores de Touros de Rodeio (ABTR), o encontro teve a presença dos norte-americanos Laramie Wilson e Katie Perschbacher, proprietários do touro Woopaa – campeão da Professional Bull Riders (PBR) de 2021 e detentor da maior nota da história do circuito.

Antes de subirem ao palco para apresentar o trabalho que desenvolvem há anos no renomado “Hookin W Ranch”, os norte-americanos fizeram visitas às fazendas da Cia Tércio Miranda, reconhecida nacionalmente pela excelência no tratamento e manejo dos animais, bem como pelo histórico de sucesso nas arenas brasileiras.
“Fomos muito bem recepcionados e só temos a agradecer. Todos estavam interessados em aprender como trabalhamos com o melhoramento genético nos Estados Unidos. Também levaremos muitas informações que conseguimos absorver ao longo de todos esses dias. Já estamos planejando outra viagem ao Brasil, porque o que vivemos aqui foi emocionante e enriquecedor. Temos certeza de que o intercâmbio de informações continuará por muitos anos”, afirma Katie Perschbacher.
Além dos norte-americanos e de outras figuras importantes do rodeio, o campeão mundial Cássio Dias Barbosa esteve presente no encontro, acompanhado de sua esposa, a médica veterinária Juliana Reidel Dias.
Durante seu discurso aos participantes, o atleta destacou a excelência do trabalho realizado pelos tropeiros brasileiros e incentivou os investidores a acreditarem ainda mais no potencial do rodeio.
“O Brasil é o país com o maior número de campeões mundiais. Por que os peões brasileiros se destacam nos Estados Unidos? Porque existem inúmeros touros de alta qualidade aqui. Os próprios norte-americanos reconhecem isso. Este encontro de genética é um marco não apenas por valorizar o rodeio, mas também porque demonstra o interesse dos Estados Unidos no trabalho que é realizado no Brasil”, afirma Cássio.

Projeto Acesso Negado
Embora tenha sido oficialmente lançado em fevereiro deste ano, o projeto de melhoramento genético citado por Rosana no início do texto é um sonho antigo que virou realidade após a compra do Acesso Negado – animal mais valioso e famoso do país.
No ano passado, a aquisição feita pela Cia Tércio Miranda chamou atenção não apenas pelo preço, superior a R$ 1 milhão, mas pela singularidade de suas características genéticas: menor, porém, com pulos mais velozes e difíceis. Atualmente, o Acesso Negado está avaliado em cinco vezes mais.
“Na realidade, muitas pessoas não entendem o motivo de termos investido tão alto em um touro de rodeio, mas, desde o começo, procurávamos o animal correto para o nosso programa de melhoramento genético. Quando vimos as características e a qualidade do pulo do Acesso Negado, não tivemos dúvidas. É isso que buscamos: um animal menor, mas que imponha dificuldade e velocidade”, explica Tércio.
Além de comercializar bezerros ou embriões já fecundados do Acesso Negado, a Cia Tércio Miranda trabalha com material genético de outros animais do plantel, como Rei do Norte e Gatilho – campeões da Festa do Peão de Barretos de 2023.
“Saber que o primeiro produto do Acesso Negado contribuirá para auxiliar pessoas que enfrentam a batalha contra o câncer traz uma gratificação imensa. Para nós da Cia Tércio Miranda, a filantropia representa um dos valores primordiais que norteiam nossa atuação,” explica Tércio.