Foto: Divulgação Sindag

Entre os dias 19 e 21 de junho deste ano, Sertãozinho voltará a ser a capital do setor aeroagrícola nacional, com o retorno da edição presencial do Congresso da Aviação Agrícola do Brasil (Congresso AvAg). O evento máximo desse segmento no País terá dezenas de expositores (nacionais e estrangeiros) dividindo os 12 mil metros quadrados do pavilhão do Centro de Eventos Zanini.

A promoção é do Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag), com apoio do Instituto Brasileiro da Aviação Agrícola (Ibravag). Serão diversas palestras e debates sobre temas como novas tecnologias, crescimento da ferramenta aérea no campo, meio ambiente e outros assuntos. Tudo em auditórios junto a uma mostra de tecnologias e equipamentos E ainda com exposição de aeronaves na parte externa e demonstrações de drones e aviões em uma área junto ao pavilhão.
Para completar, a visitação ao Congresso AvAg será gratuita. Para isso, basta se inscrever no site www.congressoavag.org.br.

 EXPECTATIVAS

Conforme o presidente do Sindag, Thiago Magalhães Silva, após dois anos de programação virtual – por conta das restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus em 2020 e 2021 – a expectativa é grande para um recorde de público nessa volta do Congresso presencial. “O último evento presencial, em 2019 (também em Sertãozinho) já havia sido recordista de público e expositores”, pondera.

Além disso, a programação também terá o Congresso Científico da Aviação Agrícola 2022, que premiará as melhores pesquisas acadêmicas do País envolvendo o uso de aeronaves tripuladas ou drones na produção agrícola eficiente e ambientalmente sustentável. Serão R$ 3 mil para o primeiro lugar, R$ 2 mil para o segundo e R$ 1 mil para o terceiro. Além da Menção Honrosa em Inovação. Quem quiser apresentar seu trabalho, ainda pode se inscrever até 31 de maio, no site do Congresso Avag.

FROTA

O Brasil tem a segunda maior aviação agrícola do planeta, 2.432 aeronaves – 2.409 aviões e 23 helicópteros, segundo dados da Anac. O que representa um crescimento de 3,40% em 2021 – equivalente a 80 novos aparelhos. Com isso, o País está atrás apenas dos Estados Unidos, que tem cerca de 3,6 mil aeronaves.

No ranking dos Estados, o Mato Grosso segue liderando, com 600 aviões agrícolas. O Rio Grande do Sul aparece em segundo, com 419 aviões operando em lavouras. Na sequência vêm São Paulo (322 aeronaves), Goiás (295) e outros 19 Estados.

 

O evento foi destaque na edição de Abril/ Maio da Magazine AgroFest
Compartilhar